Páginas

quinta-feira, 7 de julho de 2016

MORTE DE TINTA - Cornelia Funke

Morte de Tinta - Cornelia Funke

Emocionante!
Gostei demais do encontro com essa escritora e com essa obra, a trilogia Mundo de Tinta, do qual Morte de Tinta é o terceiro livro. Fiquei preocupada de sentir-me órfã ao concluir a leitura. Mas ele não foi tecido para esse sentimento, pelo menos penso que não. Este livro foi tecido para abrir outros mundos com palavras. Que incrível isso!

Cada livro é maravilhoso na sua história, nos inúmeros conflitos, nas idas e voltas dos seus personagens fabulosos.  Sim, o Mundo de Tinta é capaz de nos prender. E nos prende em Ombra, na Floresta sem Caminhos, nos inúmeros esconderijos dos ladrões, nos castelos...

Mas o livro é também maravilhoso nas revelações sobre o mágico ofício de escrever, de criar histórias. Sobre a responsabilidade e a beleza da criação! Sobre o poder das palavras! Sobre o encantamento com esse objeto que pode ser mágico: o livro! E ainda tem o poder de transformar o próprio leitor no seu contato com o livro, no seu ato de ler. Não sou a mesma leitora depois de sair do Mundo de Tinta.

Os personagens vão sendo criados ao longo da história, e o leitor vai acompanhando isso. Existe um mundo dentro do livro, o leitor é convidado a entrar nele e viver as mais loucas e dolorosas aventuras junto com os seus personagens magníficos. E a gente ri e chora e se emociona e sofre a todo momento.

Esse terceiro livro é mais suspense, porque já sabemos que é o terceiro e que a história precisa encerrar e ficamos nos perguntando: Como? O que vai acontecer com Gaio? E com Dedo Empoeirado? Meg vai voltar para a casa de Elinor com sua biblioteca? Claro que não vou contar nenhum desses detalhes aqui. Porque para mim esta história ainda não terminou. Eu vou retornar a ela outras vezes.

E pretendo retornar para ir seguindo cuidadosamente a trilha que a autora vai deixando, sobre como escrever uma boa história. Ela vai dando pistas e contando segredos sobre o ofício de escrever. E eu ainda fico pensando como ela conseguiu juntar tantos trechos de livros para iniciar cada um dos capítulos dos três livros. Achei isso incrível! E como ela esconde a história nos títulos dos capítulos. Ela esconde nos títulos e revela nos trechos que usa como epígrafe.

Gostei muito como ela conduziu esse terceiro livro, cheio de drama, de perdas, de idas e voltas, de suspenses, de tantas mortes e como ao final, foi acalmando o leitor, trazendo-o de volta ao seu próprio mundo e preparando-o para entrar em outros mundos feitos de palavras, outros mundos de tinta.

Sim, eu chorei. Mas chorei pelos amores que se perderam (falando dos personagens), não pelo fim da história. Porque é o tipo de história que não tem fim. E quanto aos livros, vou voltar a eles. Coração de Tinta, Sangue de Tinta e Morte de Tinta me conquistaram. É um mundo fascinante, feito de personagens marcantes e inesquecíveis! E a arquitetura de sua construção é tão envolvente quanto a história.

Que maravilha é poder ter pessoas com esse poder, de criar portas entre mundos e de criar mundos com palavras!



Sobre o segundo livro - Sangue de Tinta:
https://paneiro.blogspot.com.br/2016/05/sangue-de-tinta-cornelia-funke.html

Sobre o primeiro livro - Coração de Tinta:
https://paneiro.blogspot.com.br/2013/05/prazer-em-ler-coracao-de-tinta.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário